terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O que o tempo me ensinou


Volta e meia falo do tempo. Posso parecer repetitivo, porém, a cada dia que se passa mais ELE, em sua fina sabedoria, me ensina e fascina. O tempo é operante, é pai, é algoz, é professor, é sapiência em forma de paciência. E hoje, depois de anos de aprendizado,  posso dizer que muita coisa aprendi com ele. Uma delas, da qual muito me orgulho, é ter entendido que o que a maioria das pessoas me dizia sobre a "vida real" - que sonhos são utopia - é uma grande mentira. Sonhar é para quem tem pacto com Deus. Desacreditar dos sonhos é tirar a poesia da vida. E, vida sem poesia, meu amigo, é vida de gado. Quantos vivem apenas para ganhar dinheiro, ter alguns momentos de felicidade e guardar troféus para servir de consolo para suas frustrações futuras? Por diversas vezes também me vi vivendo assim e, cá entre nós, é nessas horas que a vida começa a não fazer o menor sentido. É claro que não estou falando para você deixar seu emprego e  colocar uma prancha debaixo do braço e irem viver de côco e peixe fresco numa praia deserta. Felizmente a vida nos dá vários caminhos que nos permite chegar no mesmo lugar. Basta querer e seguir em frente.  Pode ser que não dê em nada; pode ser que você não tenha o mínimo talento para o que pretende fazer, mas tenta.  Só de ter corrido atrás já valeu demais. Fico feliz que meus sonhos sejam bem simples e de relativa facilidade colocá-los em prática. Preciso apenas mudar de postura diante da vida, dividir meu tempo, peneirar as companhias, os lugares, as músicas, enfim, "a programação"; e tudo vai discorrer naturalmente para onde o nariz da felicidade aponta! Let's go!

Um comentário:

Indy. disse...

"quero trabalhar para viver e não viver para trabalhar..."
Porque a felicidade sempre se esconde nas coisas mais simples... É triste que nem com o Tempo, algumas pessoas entendam isso!

bonito texto! =)